Impressão digital #0075: Spotify entra nos EUA, Facebook vira player de música

E minha coluna no 2 de domingo foi sobre o discreto (e possivelmente enorme) movimento que o Facebook fez para apresentar o Spotify para os EUA e provavelmente para o resto do mundo.

Lá vem o Spotify
O Facebook vai tocar música

Na última quinta-feira, o Facebook anunciou mudanças em sua interface e estrutura, apresentadas durante seu evento anual, o F8, que aconteceu em São Francisco, nos EUA. Entre as novidades, Mark Zuckerberg, criador e CEO da rede social, anunciou que estavam fechando parcerias que permitiriam que qualquer usuário navegasse em outros sites através do Facebook. Entre os parceiros, veículos de comunicação como Wall Street Journal, Guardian e Mashable, e aplicativos multimídia, como Netflix, Hulu e Soundcloud. Mas um deles, no cantinho, pode desequilibrar bem o jogo para o lado do Feice: o Spotify.

O serviço de música online foi criado pelo sueco David Ek (que foi ao evento apresentar a novidade) e tem se tornado uma das principais formas de se ouvir música online. É um sistema de assinatura em que se paga uma taxa mensal que dá direito a ouvir quantas músicas quiser, onde quiser, na hora que quiser, quantas vezes quiser. Sem pirataria e com as bênçãos das gravadoras. O problema é que o Spotify não tinha conseguido entrar nos EUA. Até agora. Ao virar parceiro do Facebook, o serviço pode desafiar a loja iTunes da Apple ao tornar todos os usuários da rede social em potenciais ouvintes. E pode transformar o Facebook em mais um player no já conturbado mercado de música digital. Quem diria.

Você pode gostar...