Você pode gostar...

Sem Resultados

  1. Na pista, esse som é a senha pra ir buscar uma cerveja ou dar uma mijada.

  2. Dwarf disse:

    Com tapa ou sem tapa, mais uma daquelas porcarias que os criticos e blogs dizem que e’uma maravilha, porque alguem supostamente antenado ja disse o mesmo.

    Sabe por que ninguem diz se o disco novo do Strokes e’ bom ou ruim? Porque ninguem que a critica julgue um “alguem” disse nada ainda…

    • Que papo mais furado, acabei de postar falando que o disco eh bom.

      • Dwarf disse:

        Falou, nao. Disse que era estranho, e que isso podia ser bom…

        O que, mesmo assim, nao faz de uma porcaria como a Gang do Eletro uma banda boa.

        • Dwarf disse:

          Pois, e’. Falou depois. No post original, ficou em cima do muro esperando.

          • O post original tinha 30 segundos de cada musica!

            Esse povinho apressadinho… Tu mesmo eh bem provavel q nao tenha ouvido e se ouviu nao tem opiniao nenhuma.

        • Dwarf disse:

          Ouvi. Gostei de algumas, da lenta, sem batida, da que tem a batida mais arrastada. O que achei estranho e’ o povo achar tao revolucionario as referencias tao claras a bobagens oitentistas como “Big In Japan”, do Alphaville, na sonoridade de uma musica e no titulo e angulosidade da guitarra de outra. sem falar naquila que mais parece Gang do Eletro ou coisa parecida. mais provavel que o vies dessa tenha sido Jean Michel jarre, mesmo (sera’?). O disco pode ser o mais corajoso, suicida ate, mais isso nao basta para faz dele um bom disco, muito menos o melhor disco. Nos seus melhores momentos, e’ razoavel, apenas. Nada demais, e’ o que leses querem expressar no momento, otimo. Mas nao da pra compara com o primerio soigle do disco passado, que dira com todo o resto da carreira.

      • Dwarf disse:

        Na verdade, ficou em cima do muro, esperando a tendencia.

        • Peraí, “Big In Japan” é monumental. A maior parte da obra da banda é baba, mas essa música é espetacular.

        • Dwarf disse:

          Pra comercial de perfume Carolina Herrera ou pra ouvir no radio voltando de uma viagem, va la, mas nao da pra engolir como referencia.

          Monumental, talvez, e ainda mais agora que foi “sampleada” pelos Strokes. “Sussudio” e “Major Tom” tambem sao tao colossais… Quem sabe, no proximo disco nao usam essas?