Elma x Mombojó


O longo desabafo de Bernardo, do Elma, no Facebook (dá para ler aqui, se você ainda não tá no Feice) parecia apenas um ataque em câmera lenta aos “meninos” do Mombojó – que sentindo-se atacados, logo se defenderam (na linha “não fui eu, foi meu eu lírico”, como comentou o Hominis Canidae), mas revela uma série de fragilidades na base da cena independente brasileira, que ainda adula artistas e os trata como “seres especiais”, quando ter banda deveria ser um trabalho como qualquer outro. Vilanizar o Mombojó é fácil (e não tou nem falando do Elma, que, acho, tá com todo direito de ficar puto com a banda mas da repercussão que isso vem tomando), o buraco é bem mais embaixo…

Você pode gostar...

Sem Resultados

  1. Cleiton disse:

    Os outros envolvidos até agora não se pronunciaram, certo?

  2. rocha disse:

    matias,

    nem vou entrar no mérito de som pq ai é gosto ( sim acho elma do caralho e mombojó uma bosta) mas como vc mesmo colocou sobre a cena independente brasileira que tem inúmeras fragilidades acho que é neste ponto que o mombojó viajpou e podia ter tido essa visão e fortalecido essa cena.

    como assim nao fomos nós? foram os promotores… puta palahçada.. o bernardo falou com eles o fred falou com eles.. como não sabiam??? enfim é muito estrelismo pra pouco som…

    abraço.

    André.

  3. arlen disse:

    Exatamente o que eu ia dizer, a cena é fraca e todos sabemos e devemos sempre nos lembrar disso quando estivermos “tão lá em cima, tão famosos como o Mombojó está”. Até gostei do ultimo disco deles mas este tipo de postura é ridícula deles em culpar produção e tudo mais. Na verdade eles subestimaram o fato acontecido e não quiseram fazer o mínimo de esforço pra coisa funcionar para as duas bandas e pior ainda, colocam esta desculpa esfarrapada no blogue deles.

    Recife deve estar com vergonha deles agora neste momento.

  4. Omar Motta disse:

    Aí esses coletivos são tão lindos, né? Fortificam as bandas novas e tal. Claro que tem alguém ganhando um capilé extra nessa história, mas isso é o de menos…

  5. Junior disse:

    26/05/2011 at 14:27

    Falando como publico e como baterista, ta faltanto sacada para os produtores nacionais,já fui em alguns Cedos&Sentados, e maioria do publico são integrantes de outras e bandas ou algo da cena independente,então acho que não precisa de toda essa preocupação quanto a produção do show ,este preciosismo todo, afinal o publico de terça no studiosp ta ligado que são bandas independentes e não esperam grandes produções e sabem definir muito bem
    o proposito. Mombojo menos né rapaziada, vcs sabem que studiosp não tem uma bela estrutura, mais que rola!!!Agora pagar de “estrela” numa casa dessa é lance de vacilão.Foi muita falta de bom senso com a banda Elma,qual não conheço o som, mais me depearei com essa história. Mombojo seu publico e este, qual gosta de estar proximo e trocar idéia, agora pagar de banda ultraprofissonal numa casa dessa é coisa de otário,sua produtora esta atrasada, ela ta achando que o publico alternativo é igual do Luan Santana, sem noção !!!!

    Deixe uma resposta

  6. Bernardo disse:

    Aqui é o Bernardo, que escreveu o texto. Tentando ser breve (já viram que acho difícil), só quero dizer que eu não considero nenhuma parte envolvida isenta de responsabilidade em nada. Deixo eles pra continuar jogando a batata quente de um pro outro, até o momento ninguem parece ter acreditado. Ainda nem tive tempo de ler as explicações de das outras partes envolvidas, não tô muito ansioso pois é praticamente impossível alguem conseguido apresentar uma defesa que não inclua alguma mentira, e dá nervoso ver gente mentindo.

    Se o meu texto gasta mais linhas falando do Mombojó é porque foi diretamente com eles que eu achei que devia lidar (partindo do pressuposto falso de que eram meus semelhantes, na condição de artistas), e logo a maior parte do meu relato tem eles na ribalta.

  7. milena disse:

    meninos demais, já temos meninos demais no mundo.

  8. marcondes disse:

    hahaha. não sabia que o Mombojó era tão foderoso a ponto de fazer todas essas exigências babacas. acho que, de agora em diante, eles só deveriam marcar shows em locais como Madison Square Garden e Carnegie Hall

  9. Eva disse:

    Eu vejo nesse caso uma situação semelhante ao do cara que toma um chifre e vai lá e enche de porrada… o ricardao. Desculpem a analogia tosca, mas acho que a banda só pode exigir algo dos organizadores, porque era com eles o compromisso.

  10. Tiago disse:

    Rapaz, tem uma galera que deu uma de joão sem braço (leia-se, os responsáveis pelo Studio SP e o pessoal do Fora do Eixo) que agora deve estar pra lá de aliviada com o rumo que a dicussão toda tomou.

  11. João disse:

    Me lembrou o episódio do cancelamento dos show da Plebe Rude num Festival nos anos 80. Eles iam tocar antes da Legião Urbana, e alguém da banda (terá sido o Russo?) disse que só ia tocar se cancelassem o show de abertura. Os caras da Plebe aceitaram, receberam o cachê do show e a organização ainda se comprometeu a contratar mais shows pra Plebe. Então as meninas do Legião fizeram o show.

  12. pedro bó disse:

    como fala na minha terra… tudo isso é uma tremenda PRESEPADA… E concordo com o Berna no que diz respeito a isenção de responsabilidade! Todos, exceto o Elma (que tb não conheço o som), acredito terem muito o que explicar pros CARAS da banda.

    Infelizmente… tá ai uma prova de que as coisas não andam tão bem assim no “cenário independente” da musica!

  13. Paulo Diógenes disse:

    Quem destaca a incompetência dos produtores do show, estão certíssimos. Agora, dizer que “os meninos” do “mombocó” são santos é piada. Fico imaginando o que um cara do quilate do Ian Mackaye (esse sim entende de underground) diria dessas bandas “alternativas”. VERGONHA.

  14. Diego disse:

    So pra deixar claro que esse não foi eu, foi meu eu lirico eu plagiei da @madamaciel, ela mandou isso no tuiter e mais algumas coisas.

    hehehehehe

    Foram uma serie de erros em sequencia isso ai. Casa do Eixo, Studio SP, Mombojo e ate o ELma na maneira como expos a situação (mas eu teria feito o mesmo, depois do que o Bernardo passou).

    Cabe agora aprender alguma coisa com os erros, ou nao.

  1. 05/12/2011

    […] que me lembrou a confusão entre as bandas Elma e Mombojó no início do ano. Ainda bem que nenhum dos dois era estrangeiro, para que a coisa não descambasse […]