Eis o vinil d’O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui, do Emicida

emicida-vinil

Emicida lança seu disco mais recente em vinil num show nessa quinta e sexta no Sesc Pinheiros e eu tenho um par de ingressos aqui pra sortear para o primeiro dia. E o show que o rapper apresentará nessa semana não é o mesmo em que lançou o mesmo álbum, há um ano, no mesmo Teatro Paulo Autran. Para apresentar o vinil d’O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui, Emicida também desenterrou clássicos de sua curta e notável carreira, como “E.M.I.C.I.D.A” , “Só Mais Uma Noite”, “Cacariacô”, “Rua Augusta” e “Então Toma” e vai inclusive assumir a MPC em uma das músicas. Ainda há ingressos à venda, mas quem quiser concorrer a um par de ingressos pra essa quinta-feira é só contar qual é a sua música favorita do Emicida e explicar por quê (e não esqueça de colocar seu email pra que eu entre em contato). Abaixo os vídeos que fiz do show de lançamento desse disco mais recente, no ano passado.

Você pode gostar...

7 Resultados

  1. Patrícia Gonçalves disse:

    Olá. A minha história com a música do Emicida acontece há mais ou menos dois/três anos. Sou negra e sentia um necessidade enorme de saber mais sobre a minha cultura e de um tempo pra cá comecei a me interessar em realmente buscar isso e tentar relacionar isso com comunicação, área em que me formei, no ano passado.

    Sempre fui muito ligada com música e o rap era um estilo que eu tinha interesse, mas um certo preconceito. Ao conhecer o Emicida comecei a me interessar muito em conhecer outros cantores.

    Aos poucos fui conhecendo mais sobre a minha cultura, conhecendo movimentos que estudam, discutem e expõe a cultura negra. No começo deste ano até iniciei um curso bem específico sobre o negro. Enfim, as músicas do Emicida me fortaleceram neste processo de saber minha ancestralidade. A música Levanta e Anda deste novo disco possui um trecho que me estimulava. Quando eu pensei em desistir de ir a algum encontro negro, pensar que não daria certo estudar ou pesquisar sobre a minha pórpria e até mesmo cumprir algumas metas da minha vida, eu ouvia e ainda ouço essa música.

    Acho que essa proposta de reforçar a cultura negra, o rap e a periferia é muito intensa na carreria do Emicida, porque realmente é o que ele viveu e que muitos ainda vivem.

    “Quem costuma vir de onde eu sou

    Às vezes não tem motivos pra seguir

    Então levanta e anda, vai, levanta e anda

    Vai, levanta e anda

    Mas eu sei que vai, que o sonho te traz

    Coisas que te faz prosseguir

    Vai, levanta e anda, vai, levanta e anda

    Vai, levanta e anda, vai, levanta e anda

    Irmão, você não percebeu

    Que você é o único representante

    Do seu sonho na face da terra

    Se isso não fizer você correr, chapa

    Eu não sei o que vai”

    A música diz que você é o seu sonho. Ninguém além de você. Bom, minha ligação é essa. Como diz a própria canção: “Eu sei cansa!

    Quem morre ao fim do mês. Nossa grana ou nossa esperança”. Como a grana tá curta. Vale a pena tentar! 😉

  2. Helena Ferrigolli disse:

    A minha música preferida do Emicida é “ooorra…”, porque assim como ele, eu perdi meu pai há anos atrás, e recentemente perdi minha mãe, e me sinto exatamente como ele se descreve na primeira parte da música. A música inteira não reflete minha realidade, só o começo mesmo, mas mesmo assim me sinto muito ligada a ela.

    “Direto vejo pai brincando com filho no parque, sinto inveja
    Fico me perguntando: ‘tio, o que que a vida fez comigo?’
    Sorrio pelos pivete, acho dahora, olho pra baixo
    Tenho mó vontade de chorar, mas não consigo
    Em segundos me vem 20 e poucos dias dos pais
    ‘Guarda o presente fi, ele já não volta mais’
    Arrasta a cartolina, com papel crepom
    Amassa, joga no lixo, porra, pior que esse aqui tava bom”

    Muitas vezes já me vi nesse cenário, e imagino que eu sei exatamente como ele se sente.
    Sou fã do Emicida há dois anos, sempre que posso ir em seus shows, eu atravesso a cidade pra ir, porque são em shows dele que eu me sinto renovada, sua energia é tão boa que me sinto contagiada. Ir nesse show seria um enorme presente pra uma fã que não vê seu ídolo há alguns meses.

  3. Amanda Santos disse:

    A minha música preferida do grande Emicida é Eu tô bem, gosto da letra como um todo mas alguns trechos mexem mais comigo como o “Vale a pena então levanta e dá o seu melhor” que me traz força quando as dificuldades da vida querem nos obrigar a desistir. Outro trecho dessa música que também me contagia é “Ta vendo aquelas pegada de barro no tapete vermelho, é minha”, que vai ser quando eu conseguir conquistar meus sonhos. O Emicida me contagia com as letras das músicas dele, me considero uma milionária do sonho, porque sei que como muitas pessoas temos que lutar e correr atrás dos nossos objetivos para conseguir chegar onde queremos e sabemos dar valor a cada nova conquista. Tento ir em todos os shows possíveis que ele faz mais infelizmente nem sempre consigo, gostaria muito de poder prestigiar mais esse show do meu grande ídolo e me encher com as energias positivas que ele deixa a cada show que vou!
    Amanda Santos
    (amandasantos063@gmail.com)

  4. Mateus Lima disse:

    Outras Palavras: clássico do primeiro disco, com aquele sampler maroto de Caetano que nos transporta prum clima de viagem, e consegue misturar duas vibes, a da viagem a trabalho/correria ou a viagem de lazer/relax… Muito foda! Depois dela nunca mais consegui ouvir a original sem lembrar do refrão do Rael.

    peu.mvl@gmail.com

  1. 21/10/2014

    […] vários os pontos altos do show que Emicida apresentou na semana passada no Sesc Pinheiros: além de repaginar seu último disco e alternar entre o agogô, a caixinha de fósforo e a MPB, […]