Download o apocalipse!

Falando em Beastie Boys e nesse tourzinho virtual pela esquina da esquina do Paul’s Boutique, lembrei da primeira encarnação da Blender, antes de assumir que o R&B é o novo pop, quando a revista queria ser moderna e eletrônica. A web como conhecemos já havia surgido e aos poucos as pessoas começavam a encarar o computador como uma forma de entretenimento e o futuro parecia promissor (como, percebemos, realmente era). Como em 1995 a imprensa online ainda era muito incipiente, a Blender surgiu junto com uma novidade que chacoalhou – mas não muito – o mercado editorial mundial: a revista em CD-ROM. Em vez de uma edição em papel, a revista era um disco que, ao ser colocado no computador, abria uma espécie de hotsite com o conteúdo em texto e material multimídia. Lembro dessa edição que eu coloquei a capa aí em cima que trazia uma turnê virtual pelo estúdio dos Beastie Boys. E, procurando na web pra ver se eu achava algo sobre essa história, encontrei esse saite com o arquivo multimídia da revista e nem lembrava dessa capa inacreditável, se liga:

Acho que eu tenho essas duas edições aqui em casa. Parece tosco, mas era uma época boa, tenho de dizer.

Você pode gostar...