Dos Mutantes pro Arnaldo

Sempre que se fala na carreira solo de Arnaldo Baptista, pula-se do visceral Lóki para o Singin’ Alone, o disco que inaugurou a Baratos Afins – é uma lacuna de mais de meia década que poucos comentam o que o velho mutante estava fazendo. Isso porque ninguém mais se interessou pela Patrulha do Espaço, com quem Arnaldo tocou no final dos anos 70 e gravou dois discos, o primeiro, de 77, coincidentemente batizado de O Elo Perdido e o ao vivo Faremos Uma Noitada Excelente, de 78. No documentário Lóki, o próprio Arnaldo, em imagens da época, comenta que a diferença entre os Mutantes e seu trabalho com a Patrulha é a pegada mais funky, groovy – o que, traduzindo, quer dizer que ele estava farto do rock progressivo e queria voltar à pegada crua e suja do rock dos anos 70, de bandas como Rolling Stones, Kiss e, por que não?, Tutti-Frutti.

Nos dois discos, o repertório é basicamente o mesmo que voltaria a aparecer em Singin’ Alone, com a diferença crucial que as letras, aqui, são em português, enquanto no disco de 82, passaram pro inglês. Além disso, nos discos com a Patrulha a base é bem mais pesada que a do disco solo (embora o arranjo de algumas músicas sejam idênticos nas duas épocas) e que Arnaldo, nos anos 80, já não tinha a voz que tinha antes e passa a cantar com o timbre mais grave, dando a seu segundo disco solo um ar de introspecção inexistente nas gravações com a Patrulha do Espaço.

O primeiro disco, em estúdio, começa com uma versão power de “Sunshine”, que em Singing Alone se tornaria a balada “Hoje de Manhã Eu Acordei” e é seguido por versões bem parecidas para “Emergindo da Ciência” (que viraria “Coming Through the Waves of Science”), “Corta Jaca”, “Raio de Sol” (“Sitting on the Road Side”), “Fique Aqui Comigo” (“O Sol”) e “Trem” (“Train”), além de faixas que definem o termo rock setentão, como a sensacional “Sexy Sua” e o power blues “Um Pouco Assustador”. O disco ao vivo ainda conta com uma sessão de Arnaldo ao piano (“Arnaldo Solista”), a triste “I Fell in Love One Day” e “Cowboy” (as duas últimas apareceram em Singin’ Alone, sendo que a versão da segunda, quase instrumental no disco de Arnaldo, tem direito até a solo – ruim – de bateria no disco da Patrulha). O blog Flyinghard Land descolou os dois discos pra baixar: Elo Perdido está aqui e Faremos Uma Noitada Excelente aqui.

Você pode gostar...

Sem Resultados

  1. Strato disse:

    Fala Matias!
    “Sunshine” no “Singin’ Alone” se chama apenas “O Sol”. “Hoje de Manhã Eu Acordei” é outra música.

    Tudo bem que sempre é bom reouvir esses discos, essa fase pra mim é a melhor do Arnowdo pós-Mutantes. Mas o legal seria se aparecessem versões desconhecidas do material. Não é possível que não existam mais registros em algum formato paleontológico aos registros digitais de hoje… abs

  2. penas disse:

    O primeiro à esquerda é Coquinho, baixista soave e gentil, faleceu em Londres alguns dias atrás, aos 53. Neste site um belo elogio:

    http://www.dopropriobolso.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=85:coquinho-foi-embora&catid=44:musica-brasileira&Itemid=55

  3. Patrulha é o que há!

  4. Valeu, Matias! Estou baixando os dois discos que faltavam para minha coleção!

    penas, o Coquinho morava em Londres, mas faleceu no Brasil.

  5. rolando disse:

    Quem escreve por aqui é o batera da Patrulha ,falar que Cowboy é instrumental só pode ser coisa de um cara surdo ,ainda em relação a essa musica ,até concordo que o solo não é dos melhores que fiz ,mas para isso há uma explicação ,mas não vou me alongar nisso ,só espero que o aitor do comentário de que o solo é ruim ,seja capaz de fazer um melhor ,aí tiro o chápeu ,senão nem vou levar em consideração tal comentário.
    Outro bem informado fala que o Kokinho faleceu em Londres o que não é verdade ,infelizmente ele faleceu em Sampa.

  6. Zakkpage disse:

    é … realmente faz muito sentido o que o batera falou ae !! kkkk

    acho q se o som tiver 2 palavras em 10 minutos, já não é instrumental..

    qto ao solo que o batera fez, não acho ruim não, acho totalmente compatível com a sonoridade da época, não foge do contexto do disco …

    acho q se rolasse um solo supervirtuoso nessa música, muito perfeitinho, ficaria totalmente estranho, acho q a galera confunde excesso de virtuosismo com musicalidade…. na verdade não sei qual era o critério do arnaldo, pra gravar, produzir, e escolher as músicas, mas tenho certeza, que se esse solo fosse ruim, ele não ia deixar sair no disco..

    acho uma heresia, falar mal de qualquer música de mutantes, ou do arnaldo com patrulha, principalmente nas fases iniciais ….

    qto à intimada que o batera deu no cara que escreveu o texto, tbém to esperando ele fazer um solo melhor…

  7. George disse:

    Nesse site abaixo há uma versão do Elo Perdido com 06 músicas outtakes de studio junto, somando 14 musicas no total…
    http://idisk.mac.com/celsobarbieri-Public/Rock_Brasileiro?view=web

  8. * solo – ruim – de bateria .. do Rolando (Patrulha)? ish!! imagina se fosse bom então?!

  1. 11/02/2009

    […] Falei outro dia da Patrulha do Espaço, a banda que o Arnaldo Baptista teve depois dos Mutantes, e o Pena veio me avisar que o Oswaldo Gennari, o Kokinho, baixista original e membro-fundador da banda, passou pro outro lado antes do ano novo – e me mandou o link desse saite, com mais informações sobre sua passagem, além de homenagens de amigos. Por Alexandre Matias às 9:23 | | Permalink Categorias: Brasil Musica Pop Talagadas Video Tags: arnaldo baptista, oswaldo “kokinho” gennari, patrulha do espaco, pena schimdt « E falando no Twitter… » […]

  2. 14/02/2009

    […] • Fellini recapitula a carreira, tá pra download e tem vídeo ao vivo no YouTube • • Patrulha do Espaço, a banda de Arnaldo depois dos Mutantes (e a morte de um de seus integrantes) • • Como era um show dos Mutantes (e um filme com […]