Do Carimbó à New Wave

Cacete, que que aconteceu com o Do Amor? De versão brasileira do Vampire Weekend (embora a ascendência Titãs/Paralamas no começo seja inegável), o grupo abandonou a guitarrinha world music e abraçou seu lado mais indie retrô – ou pelo menos é o que parece que aconteceu nessa música “Chalé”, que saiu naquela coletânea Ao Futuro, que o Lívio organizou no Bloody Pop, e que foi pinçada pelo Dênis no In New Music We Trust. A música parece aquele indie rock dos anos 90 que tinha apreço pela new wave mais plástica – Devo, Cars, Blondie – e que nos deu artistas como o Weezer, as Breeders, o Velocity Girl, os Rentals, a Liz Phair, o Nada Surf e o Imperial Teen, por exemplo. E sem demérito – afinal, a música é beeeeem boa.


Do Amor – “Chalé” (MP3)

Você pode gostar...

Sem Resultados

  1. Tiago disse:

    Rapaz, nada demais. O Do Amor sempre teve essa de cada música ser uma história diferente. Para quem realmente conhece a banda, não é nada de se espantar. “Versão brasileira do Vampire Weekend” tb é foda, visse? Até parece que aqui no Brasil nunca se teve parâmetro de música pop com referência africanas (o citado Paralamas que o diga).

  2. Sim, eu tou ligado, falei isso pq eh um comentario que rola por aih, mas acho que a banda deva mais ao Titans e Paralamas (como citei) do q aa modinha afro-cool dos indies de hoje em dia.

    Mas eu nao conheco realmente a banda, confesso: soh vi alguns shows e conheco um dos caras.

  1. 25/07/2010

    […] Do Amor – “Chalé” […]