David Bowie e a filosofia do século vinte

Entre as muitas entrevistas de David Bowie que foram desenterradas no YouTube nas semanas após sua morte, me chamou atenção essa que ele deu ao apresentador francês Guillaume Durand logo após o lançamento de seu disco Heathen. Neste trecho (infelizmente só com legendas em francês), Bowie fala da importância que Nietzsche, Einstein e Freud tiveram no início do século 20 e como a frustração com o que foi conseguido até o meio do século passado deu origem aos anos 60 que pariram o artista. Ele também fala sobre envelhecer e sobre o tom de pessimismo que perpassa toda sua discografia.

Se alguém se dispor a transcrever o texto em inglês ou traduzi-lo para o português, é só colaborar nos comentários abaixo:

Você pode gostar...