Corrente de sentimentos

weyes-blood

Desde que o Cleber do Miojo Indie me falou do Titanic Rising, o disco novo da Weyes Blood que eu passei batido no primeiro semestre, que não consigo ouvir outra coisa: que obra tocante, que autora convincente, quanta emoção sintetizada em tão pouco tempo…

E é curioso perceber o quanto os melhores discos desse ano fogem completamente do estigma pop adolescente que dominou a década…

Você pode gostar...