Contra o mangue beat: “Eu não consigo viver nessa lama com vocês”

Com a faixa “Mangue Beatle”, a banda pernambucana Volver traçou uma linha que os separa da cena que recolocou Recife no mapa no pop brasileiro nos anos 90 e está causando confusão no estado, como conta o Helal do Megazine:

“Em Pernambuco, o movimento manguebeat é considerado uma instituição acima de qualquer crítica. Sou fã de Mundo Livre S/A, mas acho que o meu estado é grande demais para comportar só carangueijos. Eu adoro a cultura indígena, mas isso não quer dizer que eu quero morar numa oca”, comenta o vocalista do Volver, Bruno Souto. Próxima estação é o terceiro CD da banda. O primeiro desde que o quinteto se mudou para São Paulo.

“O fanatismo é tão grande que as pessoas acham que criticar qualquer aspecto do mangue é o mesmo que xingar o estado de Pernambuco. Gravamos o clipe com a bandeira para mostrar que somos pernambucanos até a alma. Mesmo assim, muita gente achou que fizemos isso para provocar. Tudo bem. Artista não tem só que agradar. Precisa cutucar um pouco também.”

Tá certo. E o disco novo do Volver já saiu pra download. Não que eu recomende, mas há quem goste. Olhaê o clipe:

Você pode gostar...

24 Resultados

  1. Rodrigo disse:

    O lance era pra tirar Recife da lama, não pra ficar na lama.
    Acho que nem isso essa galera entende né?
    E o mangue nunca ditou regra nenhuma…

    Vergonha alheia.

    • Henrique Selmo disse:

      (Vergonha Alheia²)
      Meu irmao, ia comentar que só pelo o que o cara falou eu nao escutaria o som, e resolvi não deixar meus preconceitos afetarem… conclusão: QUE SOM DE MERDA! VOCE NUNCA SERÁ UM CARANGUEIJO, AMEM!

  2. Marcelo Torres disse:

    Recife tá meio morta mesmo. Infelizmente o que se vê aqui é só hippie-chinelinho-pseudo-intelectual tocando tambor em Olinda e falando que Chico Science era foda. Esse regionalismo pernambucano é legal por um tempo, mas depois enche o saco.

    • lauri disse:

      Faço das suas palavras as minhas em se tratando do regionalismo pernambucano. Sou baiana , vivo aqui AMO A CULTURA e já recebi isso. Regionalismo é bom pra dar valor, mas a td momento ENCHE!

  3. Bruna Cavalcanti disse:

    O que eu não consigo entender é qual a preocupação dos mangue beat’s se incomodarem com o som ”influenciado” de Volver?? qual o problema?? o som é tão bom quanto de qualquer outro grupo Pernambucano, ‘seja ele enraizado no mangue ou não’, ou quer dizer que o som de Sagrama (pernambuco até a alma) conhecido e valorizado internacionalmente tinha que ter raizes mangue beat para ser bom?? é uma analogia que faço com qualquer outro grupo Pernambucano, pois acho que há espaço para outras influencias, fanatismo não leva a nada, adoro Volver justamente por eles levantarem a bandeira de Pernambuco e ponto.

  4. Cassiano disse:

    Que papo besta. O mangue beat era criticado justamente pelo contrário quando surgiu. Por ser enraizado de menos, antenado demais. Ninguém é obrigado a gostar ou fazer porra nenhuma. Talvez bandas como Volver teriam menos espaço se o mangue beat não tivesse aberto o caminho. Nunca vi Nação Zumbi ou Mundo Livre se comportarem como prima donas feito tropicalistas. O Volver quer um gancho para aparecer. Só isso.

    • lauri disse:

      prima donas feito tropicalistas.
      regionalismo pernambucano inconsciente. todo regionalismo é burro

  5. Eu acho, sinceramente, que se essa banda tivesse saido no primeiro disco da Volver, ja soaria um pouco atrasada, mas faria algum sentido, hoje em dia, tem sentido nenhum.

    Inclusive tem me incomodado como apenas essa música tem sido explorada neste disco da Volver, parece que so tem ela de boa, sei la, acho que já deu e seria interessante explorarem outras faixas.

    abraço!

  6. Guilherme disse:

    Concordo, a banda caçou gancho para aparecer. Vergonha alheia master desses indies todos copiando Strokes/Los Hermanos, até na barba, pqp…

    • Andrea disse:

      Vergonha alheia pra quem Guilherme?? Pois para mim que sou Pernambucana de alma e me orgulho muito disso, Volver representa a tentativa de resurgimento da música Pernambucana, o crescimento da banda, e da própria letra das músicas é notável neste último cd, meninos batalhadores que tiveram que sair de Recife para obter uma projeção e levar o nome de Pernambuco mais uma vez para o Brasil.

      E eu tenho certeza que essa polêmica toda foi criada pela falta de conhecimento e certamente as pessoas que criticam não tiveram a minima boa vontade em ouvir o cd da banda, ouçam ‘Saudades do Verão’, é de arrepiar a alma de qq Pernambucano.. Ah e desculpa mas o fanatismo não leva a nada!

  7. Elio Machado disse:

    Vejo o som do Volver como o de Marcelo Camelo, que têm o seu espaço sem a necessidade de se apoiar em bandeiras contra qualquer movimento que seja. Adoro Chico Sience, Nação Zumbi ou qualquer outro gênero de música do tipo.
    É uma pena que vocês queiram fazer sucesso se apoiando em um protesto contra os caras que colocaram Pernambuco em destaque na música nacional e internacional, e falando sério, a bandeira de Pernambuco é soberana e pode ser usada por qualquer pessoa e em qualquer situação.
    Sou Carioca e me apaixonei pelo Maracatu Atômico ouvindo esses caras.
    Cresçam, depois apareçam.

    • lauri disse:

      maracatu atômico é composta por jorge mautner, baiano, música da tropicália

  8. Dani disse:

    essa banda ruim é formada por um bando de tabacudos que só querem aparecer

  9. Paulo Diógenes disse:

    “Volver representa a tentativa de resurgimento da música Pernambucana”. Ah, qual é. Tentativa de ressurgimento da música pernambucana??? Esse sozinho é tão genérico e derivativo que podia ser o “ressurgimento” dos strokes, do novo rock (que já nasceu velho), do rock de curitiba, de porto alegre, do rio, de macapá etc etc etc. É cada idéia, viu. Indie shit. Que a banda aproveite a polêmica (se é que ela existe realmente), pois eles não vão passar disso, naão…

  10. Wilsonyc disse:

    Vamos respeitar a opinião, este é um país livre, mas quanto à qualidade do som deles podemos avaliar com três palavras previsível, tendenciosa e influenciada. Som que merece comentários é aquele que te surpreende na má qualidade ou excelência e é fácil identificar o que motivou meu comentário. Abraços!

  11. João Marcelo disse:

    Quanta lameira!!!! Essa é para colocar mais lenha na fogueira da polêmica entre a Volver e o Mangue. Quem se lembra na música da The Playboys “Monólogo aos ouvidos dos imitadores (Tô na lama não sou besta)”? Esse video é de 2005 e passou no antigo programa “Hotação”. Na verdade, a música foi composta em 1998 e gravada em 2000, época em que o movimento mangue estava no auge.
    Veja o link
    http://www.youtube.com/watch?v=f1LLnwSURbk

  12. bruna disse:

    Meu Deus quanta gente HIPÓCRITA!!!!!!! se vcs não gostam do som dos caras escutem o q gostar, agora não falem mal deles pois há milhares de fãs indignados com a falta de liberdade!!! A-D-O-R-O o som de VOLVER!!!!! desde os primeiros shows, há não sei quantos anos começando de vagarzinho ali na UFPE, um show maravilhoso em Olinda, depois nos ciclos natalinos e nos carnavais da rua da moeda…meu, Volver já faz parte da história de mt gente…por favor se não gostam se retirem!!!!!!!

  13. maustar disse:

    galera do recife é mais polêmica do Brasil!…deixam poa no chinelo!

  14. maustar disse:

    não esqueçam que é comum a galera se zoar por aí…música do último disco do MSLA tira um sarro da galera Olinda Style…que aliás nunca se considerou “mangue”…como diz o Julio Reny, o mundo é maior que seu quarto!

  15. Paulo Diógenes disse:

    “Meu Deus quanta gente HIPÓCRITA!!!!!!! se vcs não gostam do som dos caras escutem o q gostar, agora não falem mal deles pois há milhares de fãs indignados com a falta de liberdade!!!”
    Tu só pode ser retardada, né não. Fala de liberdade, mas não quer que as pessoas achem uma bosta tua bandinha preferida… ATé acho legal os caras darem uma espetada no mague (nação zumbi e mundo livre sempre espetaram a mesmice), mas o som é ruiiimmm

  16. JuniorPE disse:

    Considerando que entendo a crítica que o Volver tentou fazer aos fanáticos do Manguebeat, parece-me a mim que “ao direcionar a crítica aos fanáticos muçulmanos, acabaram por joga pedra no altar de Mohamed”. Ao falar do ‘Caranguejo’, ou eles não entenderam o significado do caranguejo no movimento mangue, o que não me inspiraria nada além de um sorriso de piedade, ou entenderam e simplesmente expressaram um ponto de vista que pra mim é infeliz, Infeliz porque o mangue, no seu ápice, tenha sido talvez uma das ultimas manifestações musicais que expressavam uma indignação frente ao cotidiano de miséria, sobretudo do Recife, a quarta pior cidade do mundo pra se viver até então (a mais bonita quarta pior cidade pra se viver aliás). Os fanáticos do manguebeat merecem crítica, o movimento manguebeat não, e a letra da musica como está, direciona a critica, em grande parte, ao movimento, o que é lamentável.

    • lauri disse:

      Exatamente, o movimento manguebeat não merece, e sim , os fanáticos. Todo o fanatismo é ruim, eles tem razão, mas foram infelizes nas palavras pois deveriam respeitar a própria cultura

  17. Mizie disse:

    Ainda prefiro a mensagem que o Mundo Livre e Nação passa .