Comentando Lost: What They Died For

Óbvio que chamei o Ronaldo pra escrever pra esse especial do fim de Lost, mas ele disse que o texto que ele tem na cabeça contempla o que acontece no último episódio – ele quer fazer uma amarração geral, a partir do fim. Acho justo, afinal dá pra gente entrar com um elemento de áudio nessa retrospectiva falando de um episódio que pareceu bobo, mas teve mais movimentação que quase toda a sexta temporada e simplesmente preparou o território para o final. E agora?

Alexandre Matias & Ronaldo Evangelista – “Comentando Lost: What They Died For

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Vitor B Machado disse:

    Gostei do final também. Se tivesse sido outro certamente muitas pessoas teriam preferido enquanto outros odiado… A velha questão sobre as impossibilidades de agradar! O final fecha com o nome proposto (reafirmado pelos roteiristas), também com o comentário de muitos, de que finalmente haviam encontrado o rumo e a redenção. Interessante a proposta de que a redenção, apesar de estar vinculada à nossa convivência com as outras pessoas (perdoar e ser perdoado), depende principalmente de conseguirmos um sentido de paz interior (como o perdão de Locke ao Ben no jardim, que vale muito mas ainda assim não o convence a entrar, mesmo após o chamado amigo de Hurley). O final em um espaço ecumênico já parece dizer tudo também: cada um acredita em algo diferente (inclusive do que seria o melhor final!) mas buscamos o mesmo sentido de redenção para nossas culpas (para evitar o termo muito religioso de pecado…).
    Abraço!