Coisa de Idiota

Da mesma forma que o Cearenses Internacionais foi inspirado no Men Who Look Like Old Lesbians, o Coisa de Idiota – o terceiro blog de Mauro A, do Wagner & Beethoven – também é uma apropriação abrasileirada (paulistanizada, melhor dizendo), do Stuff White People Like. Com acidez pingando em cada linha, os posts não perdoam ninguém – da turma da Mercearia à de órfãos do Notícias Populares, passando pelo Humberto Finatti, cotas para minorias, o Museu da Língua Portuguesa, filmes com Morgan Freeman, grafiteiros e motoboys, pelo dito humor inteligente no Brasil, camisetas regata e a Livraria Cultura, hábitos, personalidades e eventos são devidamente escarnecidos e humilhados. E como ando numa correria, em vez de descrever o trabalho do sujeito, resolvi sampleá-lo. Vale a visita:

15. Sampa

Ah, não. Isso não era coisa só de carioca? Por que é que agora todo mundo, inclusive em São Paulo, fala “Sampa” com a maior naturalidade, como se não fosse o apelido de cidade mais hediondo da história? “Floripa”, por exemplo, não deixa de ser também dolorosamente ridículo – mas lá as pessoas são ou surfistas ou tenistas, e não se pode exigir que elas articulem qualquer palavra com mais de três sílabas. Mas “Sampa”? Não, não. Primeiro, que falar “São Paulo” não é exatamente o maior desafio do mundo; segundo, que quando uma pessoa fala “Sampa” na minha frente ela automaticamente assume a forma do Otávio Mesquita de bermudão e fazendo mini-hang-loose, mesmo que na realidade ela esteja de fraque e cartola, ou mesmo que ela seja a Juliette Binoche. “Sampa” é coisa de coroa excessivamente extrovertido, usando roupas que obviamente não foram feitas para ele. “Sampa” é uma dessas palavras (como “blogosfera” e “desigualdade”) que nunca foram ditas por alguém que não fosse idiota.

25. Banheiro vs. e-books

Não tenho a menor idéia de qual é o futuro das publicações impressas, não sei se as pessoas algum dia vão preferir ler tudo na tela do computador ou não, mas por favor não diga que o e-book ou algo parecido está fadado ao fracasso simplesmente porque a humanidade sempre vai preferir levar livros ou jornais para ler no banheiro. Vamos lá, deve haver um argumento melhorzinho. Sem falar que essa tese faz qualquer um involuntariamente visualizar você sentado no vaso, de calças arriadas e lendo uma antologia de crônicas bem-humoradas da Danuza Leão, ou mais um contundente artigo do Sérgio Augusto sobre as eleições americanas no Estadão, e se você não quer que isso aconteça, tenha certeza de que ninguém mais quer.

03. Tarantino

O problema nem está nos filmes dele, mas nas idéias que esses filmes despertam em idiotas que fazem muita força para parecer cinéfilos: “Na minha festa só vou tocar música dos filmes do Tarantino, inclusive intercalando com os diálogos mais legais, na íntegra”. Para um idiota, não basta ligar o DVD, apertar o play e, de preferência, manter a boca fechada: “Quer passar lá em casa amanhã à noite? Vou colocar umas cadeiras de praia no quintal, chamar uma galera e projetar Kill Bill 1 e 2 seguidos no telão”.

Mas não são só os filmes do Tarantino que deixam esses oligofrênicos com vontade de fazer eventinhos ou performances. Não faltam imbecis dispostos a assistir à filmografia completa de Stanley Kubrick de ponta-cabeça ou a sincronizar a imagem de “Weekend à Francesa” com o som do LP dos Saltimbancos. Só existe um jeito, aliás, de ver filme do Godard sem parecer afetado: dormindo.

21. Paulo César Peréio

Ele fala “porra” o tempo todo, né? Puxa, que loucura, que vontade de conversar horas sobre isso.

01. Bater palmas quando ri

Ninguém normal faz isso. Nenhuma criatura sã, quando ouve uma coisa engraçada e começa a rir, sente o impulso de bater palmas. Ninguém, ninguém. Essa doença social foi inventada a certa altura da Grande História de Idiotice e parece se tornar a cada dia mais freqüente e intensa. A prova de que isso não faz parte da expressão natural do riso é que as palmas são típicas de ambientes onde a graça passa longe, como o Terça Insana ou apresentações de auto-declarados stand-up comedians brasileiros. O problema é que o hábito se espalhou para fora desses espetáculos de humor constrangedor, e é possível que você, numa inocente reunião de amigos, amigos que você pensava conhecer, faça uma gracinha e seja surpreendido por alguém gargalhando e aplaudindo ao mesmo tempo a sua piada, o que estragaria irremediavelmente a graça dela. Afinal, como sabe todo ser humano mentalmente saudável, a risada com palmas destrói de forma definitiva qualquer vontade genuína de rir. Porque é coisa de idiota.

23. Mulheres como desculpa

Warren Beatty, Porfírio Rubirosa, Errol Flynn, cada um deles levou para a cama um número de mulheres superior ao total de mulheres que já pegaram metrô e ônibus junto com você em toda a sua vida, e eles jamais se rebaixariam a sequer saber pronunciar sordidezas como forró, show da Ivete, livro do Leminski, violão clássico, Djavan, barba desenhada à laser, exposição de fotos de moradores de rua, cachorrinhos; portanto, na próxima vez em que você inventar de passar o carnaval em Salvador, ter aulas de dança de salão, ver uma mostra de fotografia no Itaú Cultural, passear com o seu pug de estimação, ou for flagrado comprando uma coletânea de poesia de vanguarda, não tente justificar dizendo que tudo isso faz parte da sua infalível estratégia para atrair as mulheres, como se você fosse uma espécie de Casanova com sotaque mooquense, e reconheça que está apenas cedendo às imperiosas determinações do seu mau gosto.

Você pode gostar...

11 Resultados

  1. Hector Lima disse:

    quero abraçar o cara que escreveu isso sobre o Tarantino, o maior picareta do cinema moderno.

  2. Nao, Hector, o maior picareta do cinema moderno chama-se David Lynch, Tarantino eh aspirante perto dele.

    Dois genios, dois picaretas.

  3. Tiago disse:

    rsrsrsr
    tbm concordo q Lynch seja o maior picareta!
    qunato a gênio, eu não sei. Não conheço o trabalho dele tão bem!

  4. Hector Lima disse:

    tá, eu devia ter previsto essa resposta, uhauhauhuaha

    mas deixa, não vou esticar a comparação aqui que não tem a ver. tô pra fazer um postão sobre o Taranta na Goma.

  5. George disse:

    Concordo com o título do post.

    Que coisa de Idiota. Esse deve ter algum problema retrofuricular. Ou tenha ódio do Universo por ele não ser todo em tonsde rosa. ou seja, um enrustido.

    Depois de respirar tanto rancor no ar. Tenho que dar uma volta no Parque Ecológico para ver a beleza e levaza da vida. Senão me afogo com este gosto amargo de bile que subiu pela garganta.

  6. Fredhy disse:

    Perfeito comentário George.

    Mas tenho a impressão de que este Mauro sofra de distimia. E essa é uma doença crônica grave. Que o portador somente busca um tratamento quando torna-se uma depressão.

    Durante a minha vida profissional me deparei com inúmeros casos do tipo. E geralmente essas pessoas são muito inteligentes, mas isso acaba afetando ainda mais o mau humor crônico, pois à vista do paciente todos a sua volta são muito ignorantes para entenderem as suas razões para odiar o mundo.

  7. Haja falta de senso de humor, hein…

  8. ander disse:

    o cara é engraçado e tem umas sacadas legais, o chato é que pra ele qualquer coisa do mundo parece ser SO LAST WEEK…sei lá né meu, deixa as pessoas viverem aí.

  9. Luis disse:

    Falta de mulher leva isso!

  10. Raul disse:

    Um blog MUITO bom inspiradíssimo no stuff white people likes é o Classe Média Way of Life
    http://classemediawayoflife.blogspot.com/

    É bom mesmo, não é só ódio anal retentivo

  11. Diego disse:

    Todos esses textos são idiotas… assim como o cara idiota que escreveu… com certeza, para fazer umas coisas dessas que estão nos textos só mesmo uma pessoa imbecil, ou seja, próximas do escritor, que tem a coragem de publicar essas baboseiras… Mais conteúdo, meu caro, menos opinião descabida!!! Porque você não lê o Estadão para ter mais assunto!?!?!