Cemetery Junction

Boa surpresa o Cemetery Junction, filme que o Ricky Gervais e o Stephen Merchant (criadores do Office inglês) lançaram ano passado e eu peguei meio sem querer outro dia.

É uma história sobre assumir ou não o próprio destino às vésperas de deixar a casa dos pais, um Trainspotting que se passa na época de Life on Mars (início dos anos 70), com todo o glamour tosco daquela época. No entanto, não é uma comédia e conta a saga de três amigos pós-adolescentes sem futuro brilhante pela frente e começando a dar conta disso. A trilha sonora especificamente é exemplar (Bowie, Slade, Elton John, Bruce, Roxy Music, T-Rex) e – spoiler! – há uma cena magistral usando “Rain Song” do Led Zeppelin inteirinha que vale todo o tempo que se gasta no filme. Gervais comentou o uso desta música em entrevista ao Guardian no ano passado:

he most expensive thing in the whole movie and worth every penny. This sublime piece of rock n roll majesty soars through the story climax. We planned and cut the last few minutes of the film to the track before we’d even got permission from the band. I basically sent them a begging letter and they said yes. Phew! There was no plan B.

Realmente, só essa cena… Aliás, só essa música…

“Obra sublime de maestria rock’n’roll”, indeed.

Você pode gostar...

Sem Resultados

  1. Matias, o que acho genial em Rain Song é, depois da “música pronta”, ali a partir do minuto 7, um momento todo inspirado do Page, que fica ainda mais belo em 7:16. É algo sublime mesmo. A música já era uma coisa superior e ele ainda vem com essa coisa, esse dedilhadinho. Vou atrás do filme!