Britney Spears 2011

Enquanto um monte de gente tentava decifrar o sentido – ou simplesmente se entediava ao ver quem fazia isso – de The King of Limbs, o resto dos ouvintes do mundo estavam dando atenção ao novo single de Britney Spears. “Hold It Against Me”, no entanto, é uma decepção. A música é uma colcha de retalhos de pedaços que poderiam virar canções, caso trabalhados em separado. Uma estrofe sem alma conduz a música para um clima de de pista, com beats secos e diretos que de uma hora pra outra descamba num refrão de balada teen chorosa, que não emenda com nada. Não bastasse isso a parte final da música ainda tem um exercício de virtuosismo de vocoder que não deveria ter saído da piada interna.

E ainda tem o clipe, um festival de nonsense hi-tech superproduzido, em que é notória a influência de Lady Gaga, como também a completa falta de noção de quem o conduziu. Lembra aqueles clipes do filho da Jane Duboc (como é o nome dele mesmo?) se eles fossem bancados pela Globo, que resolvesse chamar o Guel Arrais para fazer uma paródia de filmes de ficção científica de Hollywood. Ou algo como se o Michael Bay fosse o diretor do Perdidos na Noite, o velho programa do Faustão, e o tema da vez fosse Matrix. O mais provável é que tenha alguém cheio de grana pra torrar pirando em parâmetros de fodice que só fazem sentido na cabeça de publicitários – e o clipe ainda faz referência explícita à publicidade (o perfume de Britney, como se houvesse alguma sutileza. Tudo errado. Tem até uma luta no final do vídeo (bem na hora do vocoder, pra piorar). Mesmo assim, o single foi ao topo da parada (seja lá o que isso queira dizer hoje em dia).

Talvez um bom método de comparação do impacto de Britney seja colocar o novo clipe – do canal oficial – ao lado do novo clipe do Radiohead e comparar o número de vezes que cada foi visto. No meio da tarde desta terça, Britney já tinha passado dos dez milhões de views e o Thom Yorke dançarino acabara de passar dos quatro milhões. Se isso serve de medida pra alguma coisa, talvez seja que o Radiohead esteja ficando grande demais (ou não, porque boa parte desses views são repeats eternos dos megafãs da banda)…

Mas será que Britney perdeu o momentum? Ou será que ela tem algum ás na manga?

Ora vejam só. Aguardemos.

Você pode gostar...

9 Resultados

  1. EU acho que as paradas ainda importam. Os sons mais tocados estão lá, a internet ainda não matou isso. É o som da maioria das rádios, ainda é o som que a maioria escuta. E não anda raro aparecer uma surpresa boa aparecer nela.

  2. Samuel disse:

    Acho que esse clipe é um exemplo perfeito da influência da produção e do marketing da mídia mais acessível fazendo com que uma música suba ao topo da parada, independentemente de sua qualidade. Acho que já era para Britney, e assim será em breve para Lady Gaga. Jessie J, por exemplo, coloca as duas no bolso, na minha opinião.

  3. Mgz disse:

    Unica explicação plausivel: Videodrome -Video Hallucinations

    Nunca foi a respeito da música mesmo, mas de algo mas digerivel pela massa, isto é o vídeo

  4. Bom ponto, Mgz.
    Discordo, Samuel.

  5. Tuca disse:

    Claro se ve que se perde a mao no que diz respeito a análise pop. Nao entro no mérito da música, mas sim do clipe. Referenciar a Lady Gaga é preguiça de interpretaçao. Parece até fa de Lady Gaga que ve algo um pouco mais fora do comum e logo acusa. O lado do marketing esta em TODOS os clipes ha um bom tempo. Talvez Jonas Akerlund so deixou mais explicito ate mesmo pra fazerc ironia da situacao. E o clipe nao eh nonsense. Eh a historia da Britney. Comeca com o treinamento pra ser uma popstar, um vestido de noiva pra demonstrar pureza, a ascencao no tubo com os clipes de sua carreira, ate o momento com a imprensa e o momento que comeca a descender. A luta eh o momento da loucura, a briga interna, junto com o freak out no tubo. Ate que tudo melhora e ele retorna, desta vez de preto, mais madura e ate, sei la, com símbolos do Illuminatti que todo mundo tanto fala. Nem sempre os diretores sao óbvios em suas histórias. Ainda bem.

  6. Alex disse:

    Cadê a resenha do disco? Gostou?

  7. leticiaspears disse:

    poooooooooooooooooooooooxaaaa naadaa a veeeeeer eu amo a britneey e ta muiito legaal a musica

  1. 17/03/2011

    […] contrário do abre-alas do novo disco, “Gasoline”, pinçada pelo Camilo, desequilibra pro bem. « Instruções de […]