Arte contemporânea pelas capas do Sonic Youth

mike-kelley-dirty

A Ana Dienstmann fez um belo post no Medium indicando como o Sonic Youth deu aos seus fãs uma pequena aula sobre arte do fim do século a partir das capas de seus discos:

“Certo dia eu percebi que, praticamente todo o meu interesse em arte contemporânea tinha sido criado e/ou melhorado pelas capas dos discos do Sonic Youth. E até hoje, geralmente quando me refiro a algum artista que eu gosto, complemento com ‘ele fez a capa do tal álbum do Sonic Youth’. (…) mesmo que você não goste da música, o Sonic Youth é definitivamente uma ótima referência para entender o mundo da arte contemporânea das últimas décadas.”

Dá uma sacada lá no post original. A imagem que ilustra esse post é uma das obras do norte-americano Mike Kelley, que foi parar na capa do Dirty, de 1992.

Você pode gostar...