Abujamra: “Eu agora só vou responder assim: vão tomar no cu!”

Ravengar ruge em Fortaleza. É tudo teatro? Foda-se.

Abujamra, você se considera um homem de frases feitas?
O que quer dizer frases feitas? Por exemplo, se eu falo “ser ou não ser, eis a questão”. É uma frase feita? Ou é uma das melhores a que a gente pode falar numa conversa, em vez de perguntar “como você vai?”. O que é melhor: você ter as grandes frases dos grandes autores ou falar da mesmice que a gente fala todo dia? O que é melhor: você descobrir frases onde a sua vida está incluída ou você ficar falando “ih… o preço do tomate aumentou”. O que é melhor? Vou dizer uma frase que define isso. Tudo o que foi bem escrito ou dito é meu. Eu posso usar o que eu quiser. Frase feita é uma agressão na pergunta. Essa foi uma pergunta agressiva. Eu uso frases feitas no meu espetáculo? Eu não sei! Se usei frases feitas é porque eu precisava usar. Não sei o que significa uma frase feita. O que é uma frase feita para você?

Frases decoradas…
Uma frase decorada? Eu sei muito texto de Shakespeare, do Tennessee Williams, do Fernando Pessoa. Eu sei decorado esses textos, que são bem melhores do que eu falo, na verdade… E bem melhor do que a fala de qualquer jornalista babaca.

Mas você não acha que o Abujamra se repete quando diz não conseguir completar um minuto de coisas boas feitas por ele na televisão? O Abujamra seria um fingidor ou um repetidor?
Sei lá. Eu dirigi muito tempo televisão. Dirigi demais. O que você tem de bom na televisão? Alguns segundos: só! Alguns segundos. A televisão está virgem. Ela tem que ser descoberta. Tem que acreditar na comunicação de massa. Tentar melhorar as pessoas. Mas a televisão quer piorar as pessoas sempre.

E o teatro tenta melhorar as pessoas?
O teatro? Não sei. Faço isso só há 58 anos. Eu acho melhor do que britar pedras na rua, né não? Então eu prefiro fazer teatro. Não sei se isso é uma frase feita. Televisão é uma coisa, teatro é outra coisa, cinema é outra coisa. Eu sou ator de teatro, televisão, de cinema, de michê. Não sei se a palavra michê existe em Fortaleza!

Na hora de uma entrevista, você é um ator também?
Vai tomar no teu cu, antes que eu me esqueça. Eu sei lá se eu sou ator ou se eu não sou. Se eu sou isso ou se eu sou aquilo. Você acha o que você quiser que eu não dou a mínima importância. Fale o que você quiser. Ele finge! Ele não finge! Eu sei lá o que eu sou. Sei lá. Tenho 77 anos de idade, eu sei lá o que eu vou fazer depois. Tem horas que eu trabalho, tem horas que eu não trabalho. Eu sou um fudido privilegiado, que pensa em fazer o Rei Lear, mas não faz. Sou um fodido privilegiado, porque de repente me chamam para fazer um trabalho. Vocês são insuportáveis. E ainda me perguntam as coisas que me perguntam há 50 anos. As mesmas coisas. Eu queria que vocês caminhassem no incerto, como pede Pascal. Tudo bem, vocês nunca leram Pascal, mas saiam aí nas ruas e sintam-se mais inseguros. Agora vocês chegarem para mim e perguntar essas coisas que vocês me perguntam. Eu se fosse chefe de vocês colocava vocês na rua. Tem que ser outra coisa. É outro conceito. Tem que mudar. Pegar essas informações da internet e usar. Tem que fazer isso. Eu estou agredindo muito vocês. Eu espero que essa agressão mereça uma atenção, para quando vocês forem falar com outras pessoas, não façam perguntas vulgares e ridículas como essas que vocês estão fazendo para mim. Estou sendo chato?

Não!
Não é possível que eu não esteja chato! Vocês vieram aqui mesmo para apanhar. São masoquistas, é isso?

Qual seria uma boa pergunta para fazer para você?
A que vocês descobrissem.

O que foi que o senhor sonhou esta noite?
Sonho não deve passar de uma noite, meu amigo. Sonho não me interessa. Não quero que ninguém sonhe na minha frente. Sonho não deve passar de uma noite e acabou! Não tem importância. Ninguém tem que sonhar. Sonho só dá esperança, e a esperança já fodeu com a América Latina inteira.

Você não tem mais esperanças?
Nenhuma. Eu quero que a esperança vá tomar no olho do cu dela. Não tem mais nenhuma.

Acabou em 68?
Principalmente. Acho que nem tinha já naquela hora. Tchau! Vocês podem ir embora. Vão! Eu ainda não comi esse meu café. Vocês ainda me fazem comer frio. Olha a crueldade.

A entrevista está chata?
Uma das piores que eu já dei na minha vida. O que essa menina faz? (Aponta para a Natasha. Ela responde: eu sou aprendiz de jornalismo). Belos professores você tem. Ouça mais a mim do que eles. Falem, seus viados.

Quando você percebeu que estava velho?
Eu devia ter uns 15 anos. Eu sou um velho. Eu lia demais. Eu ficava lendo, lendo. Por isso envelheci. Eu sei lá quando eu era velho. Velho é quando começa a baixar o pau. Sei lá, um dia eu sentei nas bolas e percebi que estava velho. Eu sei lá quando a gente fica velho. Eu levo a minha vida. Faço as minhas coisas. Agüento uma porção de gente. Acabou a entrevista?

Acha pouco? A entrevista inteira tá no site dO Povo.

Você pode gostar...

Sem Resultados

  1. Raul disse:

    É tão bom quando alguém desvela algumas coisas, né?

  2. Paulo Diógenes disse:

    Ih rapá, o abujamra tava com demo no corpo??? Já imaginou se a moda pega, o Faustão entrevistando um cara em pleno domingão na globo e o cara “Eu agora só vou responder assim: Vão tomar no cu” huahuahuauhua.

  3. mafra disse:

    ducaralho!!! e viva o velho.

  4. Yan disse:

    Tenso. Pensei que ele ia bater nos viadinhos.

    Abraço ae Matias

  5. ky s2 ♥ é melhor assim disse:

    meu toma no CU é babalu sete rola no cu desse homem caraioooooo

  6. geo euzebio disse:

    é. a vibe ‘um dia de fúria’ deveria rolar mais entre o povo das ‘artes’.

  7. flávia d. disse:

    nossa, que simpatia!!!! adorei, hahahaha.

    RAVENGAR ETERNO!

  8. flávia d. disse:

    tô passando mal, entrevista do século!

  9. Juliano disse:

    Só eu não me surpreendi? Parece que ninguém conhece o Abu… Sempre foi rabugento, sempre foi inteligente, sempre foi chato. E esse aparente paradoxo é que deixa ele do caralho.

  10. Juliano disse:

    Ops, que barriga não ver a data…

  11. Bruno disse:

    A entrevista está fora do ar?

    Alguém tem ela completa?!

  12. Edu disse:

    Meu! Todo o mundo deveria pensar como ELE, pelo menos pensaria!
    Agora os pseudo técnicos de comunicação não fazem idéia do quanto é sofrível ter mais de 150 pontos de quociente de inteligência e viver na merda de nação que aceita tudo o que é belo, plástico e artificial.
    O Abu simplesmente é gente, só que sem filtro, sem hipocrisia e falando a verdade: vão todos tomar no meio da salada do alface de vocês. Pensem, leiam e questionam!! Cresçam!

  13. Manoel Ferreira disse:

    Que os mais jovens de trinta para baixo me perdoem, não é nada pessoal. São apenas as palavras de um velho educador!
    Este país que surgiu depois do final dos anos sessenta, não é o mesmo que eu vivi, desconheço as criaturas que surgiram de 80 para cá, falta intensidade, falta conteúdo, e vamos caminhando para mais uma geração de alienados, uma pena!
    Falta Vandrés, Faltam Abujamras, faltam Tons Zés, agora sobram manés!

  14. gabriel disse:

    Primeiramente ola a todos. Quero apenas dizer que tive uma boa impressão de Abu quando vi seu programa provocações na cultura. Mas sinceramente, perdi todo encanto quando o conheci profundamente. Sempre ha maneiras de se expressar de modo respeitoso e digno, e digo uma coisa, pessoa sem esperança é pessoa morta em vida, alem disso, a esperança ausente é dor persistente.