A volta dos Los Hermanos

A Kátia entrevistou o Camelo para a Trip deste mês e ele confirmou:


O cara tá virando um Hurtmold, hein…

De que você sente mais falta do Rio?
Do Rio [risos]. Sinto falta da praia, do sol, da umidade, dos amigos, e do BB Lanches. Em Copacabana dá pra ir ao boteco às três e meia da manhã. “Fala aí, João, beleza? Como é que tá o PF?” “Pô, hoje tá meio ruim, cara. Mas o feijão tá legal.” Copacabana é um bairro da tolerância. Um dia estava botando unha de porcelana no salão, todo barbudão, aí entra uma menina assim com um garotão francês…

Espera aí! Você disse que estava colocando unha de porcelana?
É que eu roo muito a unha e precisava deixar ela crescer. É melhor que tomar Opinol. Já tentei pimenta, mas dá uma viciadinha.

Agora você está sem unhas postiças.
Na turnê do Sou eu não podia roer a unha porque tocava muito violão. Quando acabou, eu roí de propósito pra evitar o violão porque queria um disco de guitarra, que é esse novo.

Ele é mais pesado?
A ideia é que seja mais pulsante.

Você parece muito feliz, radiante.
Eu sempre fui.

Na época do Sou, seu primeiro CD pós-Los Hermanos, você também estava?
É, na época do Sou eu tava um pouco mais introspectivo, isolado em um apartamento silencioso no Alto Leblon para compor.

Com qual frequência você fala com o pessoal do Los Hermanos?
De vez em quando. Vamos fazer dois shows no segundo semestre, dois shows fechados. Um em Recife e um em Salvador. E eu tô adorando. Pô, sinto mó saudade deles, outro dia fiquei vendo uns vídeos nossos em casa.

Sente falta dos amigos ou da banda?
Dos amigos, das músicas que a gente fez, de fazer música junto, do nosso repertório, da nossa relação pessoal, da nossa viagem, da equipe que a gente formou. Eu tenho saudade de quem eu sou quando estou com eles.

Quão perto vocês estão de uma volta?
Sinto que só deveríamos voltar pra fazer um disco novo, com repertório novo, pra não ficar nessa coisa de só tocar coisas velhas. Mas por enquanto cada um está com seu trabalho solo, criando coisas novas. O Rodrigo tem uma frase interessante que é: “Tempo a gente tem o quanto a gente dá”. Estamos dando um tempo para outras coisas.

Vocês se falam sobre os trabalhos individuais?
Eu toquei com o Barba no Canastra, mas ainda não vi o Bruno na Adriana Calcanhoto. Mas acompanho o blog dele. Com o ruivo [Rodrigo Amarante] falo mais, sou o maior fanzão do Little Joy. Fui ao show no Circo Voador e tudo.

A íntegra da entrevista tá aqui.

Você pode gostar...

Sem Resultados

  1. Claudio Junio disse:

    Aguardaando (yn)

  2. Rafael Porto disse:

    Foda! Vou comprar. E que cara de Lobão-Nerd que ele tá, né?

  3. revoltado disse:

    ja tentei assinar essa revista mil vezes e nao me deixam… problema no sistema, mudamos de empresa responsavel, nao responde email… enfim… eh triste.

  4. PQP! Como esses caras dos Los Hermanos são chatos e arrogantes. Ainda se fizessem um som decente…Mas, não. E o pior de tudo é que esporulou: antes era só uma banda e lançavam só um disco de cada vez. Agora cada um tem seu “projeto paralelo” e o mundo fica ainda mais exposto a esse som tóxico (no mal sentido) que esses malas fazem. O Marcelo Camelo e sua turma existir é o maior sinal de que Deus não existe!

  5. Lucas disse:

    Angelo revoltado com mundo / fato.

  6. leo disse:

    não é meu músico, nem minha banda favorita, mas a frase ” Eu tenho saudade de quem eu sou quando estou com eles.” é genial! salvei.

  7. Marcus Benefathr disse:

    Na época do 4, um monte de gente tava malhando e eu já falava que seria importante os caras se revigorarem como banda – deve ter até algum comentário meu aqui ou no blog do PAS falando nisso. E a parada dos Hermanos mais o relacionamento do Camel com a Mallu Magalhães deram um pala que ele poderia se reinventar remetendo si próprio ao Camel vigoroso dos Hermanos no primeiro momento. Vi os Hermanos no iniciozinho e o Camelo me remetia a um moleque forte que, nos intervalos da banda, devia ficar tirando onda de bobeira na praia. Mas logo mostrou que não era bem isso com o segundo disco da banda. No entanto, o cara envelheceu muito rápido, se tornou taciturno como uma forma de se defender de sei lá o quê – talvez da exposição equivocada obtida rapidamente com a jabazeira “Anna Ju”… Por isso acho bacana ver o cara falando em revigorada! É issaí, Mallu! Coloca Viagra no leitinho do velhinho!!!!!! 😀 abs

  8. Martins disse:

    Marcelo camelo morreu.

  9. Lucas, não sou revoltado com o mundo. Pelo contrário. Só acho que tem tanta banda nova (ou velha, tanto faz) realmente criativa e inovadora que deveria receber mais exposição que os Los Hermanos. E, enquanto isso, muitas pessoas inteligentes e que conhecem muito de música ficam falando demais de uma banda e uns caras que nunca foram mais que uns tradutores de um som que explodiu no começo da década de 90 lá fora. O som que o Los Hermanos fez (ou, pra azar de todos nós, ainda vai fazer) é chato, datado e pseudo-intelectualizado. Mas, pelo jeito, conquistou um público cativo no Brasil. E, infelizmente, inspirou um monte de grupos-clone. Minha esperança é que bandas como Black Drawing Chalks (de Goiânia) faça uma limpa geral no cenário musical brasileiro. Mas talvez eu esteja sendo muito otimista…Aliás, eu mesmo já gastei tempo demais falando dessa bandinha. Hahahaha.

  10. Marcus Benefathr disse:

    Ah! O primeiro a fazer analogia com o uníssono tom coletivo da platéia nos shows da banda fui eu, no meu zinezinho escroque na web no antigo Geocities… Grato aí!
    PS: O grande problema dos Hermanos são os peidos do Amarante durante entrevistas. E tenho registros disso em áudio! Qualquer dia coloco o material na web! 😀

  11. Que papo eh esse de peido, bicho…

  12. Marcus Benefathr disse:

    Entrevistei os caras no Ballroom certa vez e o Amarante começou a peidar logo que o papo começou. E TENHO ISSO EM FITA! ahahahahah OK, vou poupar o mundo das flatulências sonoras do “filho do guitarrista do Zero”…

  13. Álvaro Diniz disse:

    Otimo comentario Angelo L. Franchini , voce entende tudo de musica.Nuca vi algume falar tanta merda assim. Parabens.

  14. Álvaro Diniz disse:

    Otimo comentario Angelo L. Franchini , voce entende tudo de musica.E a bandinha ai q vc citou eh ate legalzinha,mas nao tem nada de original e os cara ficam cantando em ingles ainda.Nuca vi algume falar tanta merda assim. Parabens.

  15. Iza Vanessa disse:

    O Angelo L. Franchini… Não quero lhe ofender, mas quem somos nós para agredir verbalmente alguém ou o seu trabalho? Se vc não gosta, então respeite quem faz o som e quem o escuta… Se não gosta, apenas não escute. E isso vale para quem concorda com ele… Vlw… õ/

  16. Bruna Marinho disse:

    Puts! Para mim o los hermanos é o que há de melhor na musica popular brasileira e no cenário atual do rock. Rezo para que a banda retorne com mesmo estílo de sempre. AMOOO LOS HERMANOSS e que se dane os invejosos que criticam e não sabem valorizar a preciosidade da musicalidade desses caras barbados intelectuais…Bjusss

  17. Bruna Marinho disse:

    Puts! Para mim o los hermanos é o que há de melhor na musica popular brasileira e no cenário atual do rock. Rezo para que a banda retorne com mesmo estílo de sempre. AMOOO LOS HERMANOSS e que se dane os invejosos que criticam e não sabem valorizar a preciosidade da musicalidade desses caras barbados …Bjusss

  18. Luiz Inacio da Silva disse:

    Angelo L. Franchini… Vai tomar no CÚ. Tu sabe porra nenhuma de música. Aposto que escuta alguma banda de EMO! LOS HERMANOS é uma das melhores bandas do MUNDO.

  19. Vanessa disse:

    Pow Angelo L.,deixa de ser otário cara,cada um curte oq quer,vc concerteza deve ouvir algo que eu ou outra pessoa não gosta, e nem daí?O mundo é de todos e FELIZMENTE todos são diferentes.Pra mim Los Hermanos é uma das melhores bandas que ja existiram.E fico torcendo pra que eles voltem msm.Vai ouvir seu Fresno vai! ¬¬

  20. pedrinho disse:

    angelo l.franchini…seu cretino de merda …v se morre e pára de falar tanta merda seu comedor de pau…LOS HERMANOS É DO KARALHO!!!!

  21. Johnny B. Good disse:

    Meu irmão, los hermanos é a melhor banda dos últimos anos (após anos 80). Tenho pena da juventude de hoje, que ouve nx zero ou restart, e ódio mas bastante ódio desses caras,como o Angelo, que fica falando lorota do que nem deve ter conhecido, los hermanos tem música com letras bastante belas e ritmos serenos, que não enjoa, como as músicas de hoje. Além disso, eles criaram uma identidade muito mais interessante que usar roupas coloridas e fazer chapinha, afinal, qual é o fã de los hermanos que nunca deixou a barba grande por um tempão?

  22. Felipe disse:

    Olá! O que tenho pra dizer é o seguinte: Los Hermanos é a banda que mais influencia a minha vida, mesmo nunca ter ido a um show da banda eu nunca vi outra banda que tenha uma multidão de fãs tão alegre e satisfeita com a musicalidade que eles fazem. Ainda bem que eles se conheceram.

  23. Leonardo disse:

    não existe algo nem parecido com LOS HERMANOS, os caras são geniais!!!!todos eles!!! comcerteza a melhor banda do brasil!!!