A Toot and a Snore in ’74 – John Lennon & Paul McCartney

atootandasnore.jpg

Num desses documentários sobre Beatles que passam na TV a cabo, rolou uma entrevista com a May Pang – a japa com quem o Lennon viveu entre 74 e 75, o período conhecido na beatlelogia como “Lost Weekend” (o termo é o título original do clássico alcóolatra Farrapo Humano e faz jus à reputação de John à época, longe da Yoko e no coração das baladas da Califórnia) – em que ela descrevia a cena do último encontro musical entre John Lennon e Paul McCartney. Que Paul e Linda foram pra casa de John na Califórnia e passaram lá uns três ou quatro dias de março de 1974 pra espairecer. Nisso, o Lennon tava produzindo um disco do Harry Nilsson e começando a cogitar o disco Rock’n’Roll (inventado pra sanar uma dívida com o empresário Morris Levy, que queria uma grana de John porque dizia que “Come Together” era plágio de “You Can’t Catch Me” do Chuck Berry – mas isso é outra história) e juntou uma galera no estúdio, pra tocar de farra. No meio desse povo, Stevie Wonder, Ringo Starr, o próprio Nilsson, Keith Moon, Klaus Voorman (um daqueles fortes candidatos a quinto beatle – irmão da mulher que o Pete Best conheceu nos tempos dos Beatles em Hamburgo, fez a capa do Revolver e do Anthology e foi baixista do Lennon por um tempo), entre outros, e, claro, John e Paul. Lennon tava na sua fase mais cheiradora, oferecendo cocaína pra quem aparecesse, e esse foi o clima da última sessão registrada da maior parceria musical da história. De dar água na boca, né? Mas o resultado final é mais um registro histórico do que uma gravação propriamente dita. Sente o drama.

1. “A Toot and a Snore
2. “Bluesy Jam
3. “Studio Talk
4. “Lucille
5. “Nightmares
6. “Stand By Me
7. “Stand By Me” (take 2)
8. “Stand By Me” (take 3)
9. “Cupid”/”Working on the Chain Gang”/”Take This Hammer

Nem precisa agradecer 🙂

Você pode gostar...